sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Looks para Grávidas.

Boom gente, a maioria das mulheres gostam de andar bem vestidas né? Eu não sou diferente, não quero dizer que sou a louca da moda, porque não, atrás das minhas compras de roupas eu analiso várias coisas na minha cabecinha antes de tomar a decisão. Alguns podem chamar de mão de vaca, mas tenho objetivos maiores e isso é assunto pra outro post.



Logo quando descobri que estava grávida, a única coisa que tinha mudado eram os seios, então minha primeira compra foi sutiã maior, mas comprei apenas 3. Desses, dois foram nas lojas Pernambucanas e foram super baratinhos e outro comprei na Hope um de renda pra usar com blusa transparente. Já estou na reta final e tenho só eles, eu uso muito top porque trabalho com roupa fitness (mais um motivo que não precisaria investir tanto). Depois foi meu quadril, então as minhas calças sem elastano foram aposentadas, as calcinhas como sempre gosto de usar aquelas da Trifil sem costura, eu continuo firmes nelas até hoje. 


No começo me sentia melhor com cropped e calça/saia de cós alto. Demorou até que minha barriga aparecesse, foi lá pelo sétimos mês, antes parecia apenas que estava com gordura localizada. Em julho fomos para Gramado, e eu precisava de roupas de frio, comprei duas calças com bastante elastano nas lojas Pernambucanas bem baratinhas também porque eu sabia que elas eram provisórias (eu só pago caro em algo quando vai ser muito útil e me servir por bastante tempo) e uns casacos bem quentes também (esses foram mais caros um pouquinho mas vou usar nas viagens para o frio). 



Eu nunca gostei da combinação legging e bata, a dificuldade sempre foi essa porque tudo que vamos comprar são essas opções. A minha sorte é que virou tendência aqueles vestidos caneladinhos e acreditem é o que eu mais gosto de vestir, é muito confortável e dependendo do sapato e acessórios que compor, dá pra ir da padaria ao shopping, eu comprei dois um preto básico kkk e um verde militar ombro a ombro que no começo eram midis agora está curto kkk.

A primeira foto é uma saia que até hoje serve também se for usada com um short curto por baixo e a pantalona vinho também uso até hoje.


Como disse antes, o meu pensamento quando eu ia comprar era " quando a barriga crescer mais isso vai continuar me servindo?", então comprei calças de tecido, pantalona e chorchat. No começo eu usava bem alta, hoje elas já não fecham se eu não mostrar a barrigona (mas não gosto de sair com ela de fora), então anotem esse truque, eu uso uma blusa mais cumprida que tampe o ziper. Tem uma opção muito boa também que eu não usei que é o extensor para usar calça jeans.

Nas três fotos estou gestante, a calça de linho branca é a mesma e serve até hoje, comprem peças que vocês consigam usar em mais propostas.


Outra peça que você pode aproveitar por muito tempo também são os vestidos, principalmente se sua região for mais quente, porque eu nunca senti tanto calor na minha vida. Eu nunca consegui dormir sem cobertor, agora com a gravidez eu sou capa de dormir com ar condicionado no 17 e sem cobrir. Mas voltando ao assunto dos vestidos, eu amo os longos acho que deixa a gente mais alta, só que não me senti bem com os largões, prefiro que tenha a cintura marcada, mas dá pra usar cintos, camisas amarradas com um nó por cima deles. O segredo é se jogar na criatividade e ir experimentando o que fica melhor pra você, a regra é sentir-se bem e confortável. 


Uma dica é ver o que você pode adaptar do seu próprio guarda-roupa, eu adoro transformar minhas roupas em outras. Fiz isso recentemente com um vestido formal e as pessoas ficaram incrédulas quando descobriram que era o mesmo. Achem uma costureira de confiança  e ela vai te ajudar nas ideias também. Aposte em terceiras peças também, dia desses coloquei um legging preta com um tecido mais cintilante, uma camiseta preta do marido, um kimono estampado e um mule, eu me amei com essa roupa e foi só elogios pena que não tenho fotos para mostrar pra vocês. Mas quem acompanha meu insta me viu com ela.

Acreditem é o mesmo vestido, só viramos o decote para as costas e fechamos a fenda transpassada que tinha na perna.

Agora com 38 semanas quase nada me serve kkk, basicamente meus shorts de corrida, camiseta do marido, calça de moletom e vestidos bem largos e cumpridos. Porém não comprarei mais nada, porque vou entrar em uma nova fase, que tenho que pensar na praticidade na hora de amamentar e não sei também como meu corpo vai ficar no pós parto. Aguardem que também vou compartilhar essa experiência com vocês.

Beijos e que venha esse bebê lindo.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Aprenda a viver em silêncio e veja a diferença.

Uma coisa que vocês ainda não sabem, é que eu adoro escrever algumas reflexões. Quando eu era menor até na adolescência eu escrevia quando ficava triste/brava/chateada, como nunca me senti segura para me expressar eu preferia escrever e ali eu podia ser eu mesma que ninguém ia tentar mudar minha ideia e me criticar, porque se isso acontecesse a situação pioraria muito mais.


Antes de mais nada quero deixar claro o que vou escrever nesses tipos de texto são minhas experiências e não fatos comprovados cientificamente. Também não sou uma expert em português, mas sempre brinco que tenho que escrever um livro um dia, enfim vamos ao que interessa.

Sempre quando eu ouvia falar "a fulana está em voto de silêncio" ficava imaginando o porquê e se realmente isso mudaria algo. Como tagarela que sou, impulsiva, ansiosa, sonhadora, eu realmente não me imaginaria em um estado de tranquilidade a ponto de fazer algo do tipo. Hoje tenho 28 anos e  sei que tenho muito o que aprender ainda, mas sinto que aprendi muito com o silêncio, apesar que nunca fiz realmente um voto de silêncio. Tudo começou quando eu era pequena e minha mãe dizia "Jéssica conversa menos e ouve mais, você pode acabar em uma situação difícil por isso" como sempre a ignorância falava mais alto, infelizmente se você não ouve o mais experiente a vida te ensina dá pior forma.

Com o tempo fui vendo que ter a língua solta era um perigo, até hoje é muito difícil só ouvir, o ponto que quero chegar é, quando você cala e fica só ouvindo, a tendência é observar aquela situação com calma e não agir por impulso. Assim dá tempo de você analisar muito bem para depois reagir. Você aprende a respeitar a opinião do outro  sem estressar e conviver com a essa diferença de pensamentos. Afinal o mundo é tão cheio de problemas pra você ser ou criar mais um, respeitar é o caminho mas não confundam respeitar com deixar as pessoas abusarem e quererem tomar conta da sua vida, perdoar não quer dizer continuar convivendo com pessoas que não aceitam te respeitar e continuam com o padrão que te deixa para baixo, perdoa mas não conviva.

O silêncio (meditação) me ajudou a acalmar minha mente para que eu pudesse conhecer o meu "eu interior", aprendi a respeitar mais, amar, ter controle sobre meus impulsos, o mais importante pra mim foi a ansiedade, saber lidar com a palavra esperar( ainda tenho dificuldades nesse quesitokkk). O ser humano é capaz de fazer tudo, se nós quisermos tudo está ao nosso alcance basta ter calma e força de vontade. Aprendi que não vencemos sempre, as vezes você leva vários tombos até conseguir o que tanto quer mas isso te fará mais forte e nesses tombos sempre vai ter uma lição que te ajudará na sua jornada.


E como eu consegui falar menos e ouvi mais? Meu pai sempre fala, temos uma boca e dois ouvidos ou seja se fosse pra falar mais teríamos duas bocas e um ouvido. Como profissional da área da saúde eu sei que nada no nosso corpo está ali por um acaso. Toda vez que alguém vinha me perguntar algo sobre fulano eu pensava nessa frase e em toda consequência que minha resposta podia tornar tanto pra mim quanto para o próximo diante disso comecei a ler mais sobre meditação, sobre outras religiões conhecer o que cada uma podia me ajudar e o Budismo me ajudou bastante a tentar ser um ser melhor (Apesar que o texto em questão não é sobre religião mas antes que me perguntem eu não tenho nenhuma). Quando resolvi mudar eu toda noite abria a janela do quarto, fechava os olhos e me concentrava tentando enxergar como estava minha mente isso me ajudou muito e a respiração também.Também reconheci que precisava de ajuda profissional, foi então que comecei a fazer terapia, ainda quero contar essa minha experiência com vocês.

Bom gente acho que empolguei muito kkk pretendo escrever essas reflexões constantemente, espero que eu possa ajudar alguém e que vocês gostem.

Beijos