terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Empreendedorismo X Maternidade, o papel da mulher na sociedade moderna.

Olá povo, como vocês estão? Bora conversar um pouquinho sobre como nós mulheres somos vistas na sociedade? Bom, desde que me tornei mãe eu nunca fui tão elogiada na minha vida. A frase “nossa estou muito orgulhosa(o) de vc” nunca fez parte do meu cotidiano, até me tornar mãe. Deixo claro que isso não é uma reclamação, mas nessa quarentena o que mais tenho é tempo para refletir sobre a vida em geral. Pensei até mesmo se viria tentar explicar meu ponto de vista, talvez um desabafo, confesso kkk.


Eu no novo Studio Flex - 2021

Então bora lá, o breguete é o seguinte, é natural da minha pessoa mover montanhas para conseguir o que eu quero, além disso fui criada para ser uma mulher independente, minha mãe sempre trabalhou fora e me incentivou. A maternidade, assim como o casamento não era algo que eu almejava. Nos meus sonhos eu iria formar, mudar de cidade ( continua sendo um sonho), fazer mestrado, e depois mudar de país. Porém, o destino me surpreendeu com um homem maravilhoso, que por ele me tornei esposa e mãe, mas isso é história para outro post. De forma alguma trago essa mudança no meu destino como algo ruim, a família que formamos é o que tenho de mais valioso.

Formatura em Fisioterapia.

O X da questão é...que comecei a trabalhar com 16 anos, fiz faculdade e trabalhava ao mesmo tempo, ralei pra caramba, passei por vários desafios no ano da formatura, mas continuei. Na época procurei emprego nas clínicas da cidade e não consegui nada, mas isso jamais me deixaria cruzar os braços, resumidamente comecei fazendo massagem no fundo da casa da minha vó, meses depois abri meu próprio espaço terapêutico, fechei para ganhar experiência com equipamentos modernos na área de estética, que eu não tinha condição de comprar e nem fazer uma pós na área, incentivei e ajudei meu marido a abrir um Studio de Treinamento Funcional ( o primeiro da cidade) no mesmo local que eu atendia e posteriormente mudamos de local, em 2015 conheci o método Pilates e surgiu ali uma vontade de trabalhar com isso, tomei um banho de água fria quando vi o valor do curso e dos equipamentos (depois que virei autônoma, não me passou mais pela cabeça trabalhar para outras pessoas), vocês acham que desisti? Era o ano do nosso casamento e o investimento estava todo destinado para isso, o sonho apenas foi adiado.

A Recepção do meu primeiro cantinho em 2013.


Trabalho sempre com sonhos e os torno meu objetivo de vida real, tracei metas e trabalhamos loucamente para juntar dinheiro e conseguir pagar o curso de Pilates e posteriormente montar o Studio, que continuo até hoje dando as aulas, trabalhando no marketing e na gestão. Nesse ano de 2021 mesmo diante do caos da pandemia ampliamos o Studio Flex (@studioflexcatalao)  mais uma vez, a realização do sonho do meu marido, e eu por trás de apoia-lo a cada vez que ele queria desistir, a cada estresse com fornecedor, atrasos, desistência de alunos e por ai vai, mas seguimos juntos e fortes.

Meu Studio de Pilates no primeiro local.

Talvez você nunca tenha parado para pensar que por trás de uma empresa tem um ser humano que luta diariamente atrás de um computador, para entregar o que há de melhor para o cliente. As vezes quem administra nem sempre é reconhecido, por que fica lá no canto entre boletos e pensando nas estratégias de marketing, e quando descobrem que é uma mulher que faz tudo isso? Nem sempre reconhecem meus caros. Mas  o que mudou da menina de 16 para a mulher de 29 anos? Experiência, a maternidade me deixou mais segura e forte, me sinto uma leoa e agora além do meu trabalho e casa, tenho também os desafios maternos( sim, optei por viver a maternidade total, somos só eu e meu marido para cuidar do nosso baby). 

                                  
                                                         Em 2014 fazendo limpeza de pele.

Aos olhos da sociedade, hoje eu sou alguém, agora sou uma mulher forte. Insano né? Na verdade eu definiria como revoltante, porque até um tempo atrás eu não queria ser mãe, não concordo que toda mulher nasceu para ser mãe, por isso tem tanta criança sofrendo por ai. Eu acho muito foda a minha história e tenho muito orgulho do que me tornei, a maternidade pra mim veio como brinde, me trouxe um amor inexplicável e uma felicidade imensa. Porém, acho que o reconhecimento e valorização da mulher no mercado ainda precisa evoluir muito. Empreender é algo que me faz muito feliz, mas ainda dói, quando faço um vídeo por exemplo , gasto horas pensando na estratégia, produzindo as imagens para chegar no resultado final e não reconhecerem o meu papel dentro da empresa, isso me revolta. 

                                         
                                                        Quando o Studio de Pilates estava em "construção"


Talvez para você que não precisa lutar diariamente para conquistar um espaço no mercado de trabalho, não entenda, ou ache bobeira minha. Afinal, cada uma escolhe como quer viver e eu não nasci para ficar parada, quero ser reconhecida pelo meu trabalho, por que gosto de trabalhar, gosto de gerar renda, de ser útil economicamente falando. Não desvalorizando o serviço de casa, que é muito mais cansativo e os deveres maternos, porque essas duas funções nunca tem fim, não tem feriado e nem férias, na real, nem sempre também reconhecem o valor das mulheres do lar e mães. A mulher em si, independente de como ela escolheu viver mata um leão por dia para que tudo saia em ordem e espero de verdade que as próximas gerações reconheçam mais tudo que somos e valemos.

 Nossa já escrevi tanto, mas precisava vir escrever isso, porque estamos em tempo de mudança e a mulher precisa ser mais valorizada sim, em todos os sentidos, não somos frágeis, somos fortes e lutamos com classe. 
Por hoje é isso, fiquem a vontade para comentar suas experiências. 
Bjs 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela visita de vocês, para acompanhar mais sobre meu dia a dia sigam @jehrbennett e @vivendonareforma no insta. Os comentários serão respondidos aqui no blog.